Datalogger

Dataloggers suportam de 1 a 4 sensores. Para instrumentos próximos é possível, portanto, utilizar apenas 1 datalogger para até 4 instrumentos, resultando em maior eficiência e melhor custo para o projeto. Apresenta um novo conceito de customização, sendo composto por módulos. Desta forma, tanto as entradas paras sensores quanto os meios de conexão do datalogger podem ser alterados através de seus módulos.

Entre os módulos de interface disponíveis destacam-se:

  • Módulo para sensor de corda vibrante (frequência + temperatura);
  • Módulo para sensor analógico de 4 a 20 mA;
  • Módulo para sensor óptico;
  • Módulo para dispositivo RS-485 / RS-232.

Através dos módulos de interface é possível equipar o datalogger para ler diferentes tipos e diferentes quantidades de sensores, fazendo com que o custo da solução se adapte exatamente à demanda do usuário.

Dentre os módulos de comunicação disponíveis tem-se:

  • LoRa;
  • X-Bee;
  • WiFi;
  • SigFox;
  • Ethernet.

Os dataloggers serão entregues com antenas direcionais para melhor comunicação com o concentrador.

Cada datalogger conta com capacidade de armazenamento de 250.000 registros, e possui interface USB para configuração e download local dos dados.

ENERGIA

Cada datalogger utiliza 1 bateria tamanho D, de 3,6 V.

Recomenda-se o uso de baterias de íons de lítio-cloreto de tionila, cujas características garantem maior segurança de operação em campo.

A autonomia do datalogger está diretamente relacionada à quantidade de transmissões de dados realizada. Para transmissões a cada 1h a autonomia é, em média, de 2 anos.

O datalogger Sirius ainda permite alimentação externa em 12 V.

Agricultura

A maioria das atividades relacionadas ao cultivo de alimentos dependem das condições de solo e tempo. Portanto, estações meteorológicas sem fio representam um papel muito importante na prevenção de doenças e na correta irrigação. Estas estações retornam à estação base os principais parâmetros necessários para a tomada das melhores decisões: temperatura do ar e umidade relativa, precipitação e dados de umidade da vegetação(necessários para modelos de prognóstico de doenças), radiação solar e velocidade do vento(necessários para calcular a evapotranspiração) e, em algumas ocasiões, a umidade do solo, crucial para decisões de irrigação adequada para compreensão do progresso da água no solo e para as raízes. Devido aos micro-climas locais poderem variar significativamente, tais dados precisam vir corretamente dentro do cultivo. Estações de monitoramento normalmente transmitem de volta os dados através de rádio terrestre, apesar de sistemas de satélite serem usados eventualmente.

Anotação de Responsabilidade Técnica – ART

A Anotação de Responsabilidade Técnica – ART deve preencher os seguintes requisitos:

  1. A ART deve ser de projeto;
  2. O assinante da ART deve ser engenheiro eletricista, eletrônico ou de telecomunicações;
  3. A ART também deve ser assinada pelo representante legal da empresa;
  4. Deve ser juntado neste campo, também, o comprovante de quitação da ART.

A ART é emitida pelo CREA da respectiva região onde foi registrado o projeto.

Projeto Técnico Anatel

O Projeto Técnico elaborado pela pretendente deve conter pelo menos as seguintes informações:

  1. descrição do serviço a ser prestado contemplando as aplicações previstas;
  2. radiofrequências pretendidas, quando for o caso;
  3. pontos de interconexão previstos;
  4. capacidade pretendida do sistema em termos de número de canais e largura de banda ou taxa de transmissão;
  5. localização dos principais pontos de presença, no formato Município/UF; e,
  6. diagrama ilustrativo do sistema com a descrição das funções executadas por cada elemento do diagrama.

Observação: o projeto deve ser elaborado por engenheiro responsável ou pelo próprio pretendente se for engenheiro eletricista, eletrônico ou de telecomunicações.

PROJETO FTTx

Uma rede FTTX é uma rede de acesso baseada em fibra óptica que conecta uma grande quantidade de usuários finais (residências, prédios, ERBs,..) a um ponto central,(PON) da operadora. Um rede FTTX pode apresentar várias arquiteturas:

  • FTTN: É à arquitetura de rede de transmissão da fibra óptica onde a rede vem diretamente do fornecedor até um armário ‘’ street cabinet’, onde a partir do armário a transmissão se tornara VDSL2 ou Ethernet tendo como meio o cabo coaxial ou o par de cobre, que sera distribuído para os assinantes daquela vizinhança ou bairro.[1]
  • FTTC: É à arquitetura de rede de transmissão da fibra óptica exatamente igual a FTTN, onde a rede vem diretamente do fornecedor até um armário ‘’ street cabinet’, onde a partir do armário a transmissão se tornara VDSL2 ou Ethernet , porém a única diferente entre as duas sera a localização do armário. Onde no FTTN terá uma distancia maior entre o amario e os assinantes(aproximadamente superior a 300m de raio), em quanto no FTTC essa distância menor(aproximadamente inferior a 400m de raio).Onde a escolha de qual arquitetura usar dependera da demanda e estrategia do fornecedor .[2]
  • FTTB: É à arquitetura de rede de transmissão da fibra óptica onde a rede chega até o edifício seja comercial ou residencial, e a partir daí, as empresas ou pessoas que vivem em cada um desses apartamentos, receberão a conexão através de outros cabos, normalmente os cabo coaxial ou par de cobre.[3]
  • FTTH: É à arquitetura de rede de transmissão da fibra óptica onde a rede adentra a residência do assinante, vindo diretamente da caixa de distribuição da empresa fornecedora do serviço. Fazendo com que o assinante possui uma fibra óptica exclusiva para acesso.

Projetos completos de redes FTTH;
Análise da viabilidade financeira de projetos de rede FTTH;
Documentação e certificação da rede FTTH;
Medidas ópticas de redes FTTH com ênfase em OTDR.

GEORREFERENCIAMENTO

De uma imagem ou um mapa ou qualquer outra forma de informação geográfica é tornar suas coordenadas conhecidas num dado sistema de referência. Este processo inicia-se com a obtenção das coordenadas de pontos da imagem ou do mapa a serem georreferenciados, conhecidos como pontos de controle. Os pontos de controle são locais que oferecem uma feição física perfeitamente identificável, tais como intersecções de estradas e de avenidas, pistas de aeroportos, edifícios proeminentes, topos de montanha, entre outros. A obtenção das coordenadas dos pontos de controle pode ser realizada em campo (a partir de levantamentos topográficos, Levantamento Geodésico com GPS – Sistema de Posicionamento Global), ou ainda por meio de mesas digitalizadoras, ou outras imagens ou mapas (em papel ou digitais) georreferenciados. Tal ato pode permitir que ocorra uma geodecisão por parte dos consultores de um projeto ou uma administração de uma empresa.

ERP

Planejamento de Recursos Empresariais (português brasileiro) ou em inglês Enterprise Resource Planning; ERP é um sistema de informação que interliga todos os dados e processos de uma organização em um único sistema. A interligação pode ser vista sob a perspectiva funcional (sistemas de finanças, contabilidade, recursos humanos, ordem se serviço, marketing, vendas, compras etc) e sob a perspectiva sistêmica (sistema de processamento de transações, sistemas de informações gerenciais, sistemas de apoio a decisão etc).

O ERP é uma plataforma de software desenvolvida para interligar diversos departamentos de uma empresa, possibilitando a automação e armazenamento de todas as informações do negócio, que passam a ser fornecidas de maneira instantânea e precisa, assegurando as tomadas de decisões.

ERP é a espinha dorsal (BACKBONE) dos negócios eletrônicos, uma arquitetura de transações que liga todas as funções de uma empresa, por exemplo, de processamento de pedido de vendas, controle e gerenciamento de estoque, planejamento de produção e distribuição e finanças.

RETROFIT

Retrofit é um termo utilizado principalmente em engenharia para designar o processo de modernização de algum equipamento já considerado ultrapassado ou fora de norma.

Um exemplo de retrofit é a modificação dos sistemas de refrigeração que ainda se utilizam de gás Freon 12, que teve sua fabricação proibida visto que agride a camada de ozônio. Com isso, o retrofit desses equipamentos sugere a modificação de peças na adaptação para receber um novo tipo de gás, nesse caso o R134A, menos agressivo ao meio ambiente.

Outro exemplo de Retrofit consiste na adaptação tecnológica das instalações elétricas, redes e dos principais equipamentos instalados no provedor, como datacenter, rede de distribuição, sistemas de atendimento e mobiliarios, dentre outros. Revitalizar e atualizar as construções para aumentar a vida útil do negocio, através da incorporação de modernas tecnologias e materiais de qualidade avançada, é fundamental para reconquistar a valorização seu provedor.